Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stylista

resultado passatempo Sephora!

 

 

Muito obrigada pelas vossas 7.806 participações!!!!

 

O número sorteado foi o 6.035 que corresponde à participação da

Carla F. Rosinhas.

 

Muitos parabéns!

 

Vou já enviar email e vou também pedir à Sephora 

mais ofertas destas!

 

 

Este passatempo foi um SUCESSO.

 

 

Obrigada. 

 

 

fim-de-semana

 

Fim-de-semana LINDO de sol, a Sul!

 

 

Estivemos, tal como no ano passado nesta altura, no Pine Cliffs Resort onde decorria o Winner's Cup (torneio de golfe amador). Mais uma vez fomos recebidos neste sítio de sonho com uma excelente oferta de alojamento - verdadeiros apartamentos de luxo! - comida maravilhosa, serviço ultra simpático e uma série de actividades à disposição (mergulho, aulas de yoga, ténis, golfe, massagem) - para a eventualidade de não queremos estar quietos a absorver raios de sol.

 

Nem quietos nem em multi-actividades, a nossa vida foi mais brincar nos jardins, passar muito tempo no playground e filmar o Manel nas suas 12765367282 descidas radicais de trotinete numa rampa. 

 

Foi espectacular para descansar e andar ao ar livre.

 

A parte melhor para o Manel - que passou um ano a pedir para voltar - foi o Porto Pirata; o parque infantil mais completo de sempre (baloiços, escorregas, piscina, mini golfe, triciclos, bicicletas, campo de basket, espaço para actividades), que tem como atracção principal dois barcos Pirata ENORMES onde ele se sente o próprio do Capitão Gancho. Estava no céu!

 

Foi óptimo; o sol quase primaveril, a paz, o peixe grelhado e os carabineros no Evaristo (mmmm!), a sensação de Verão a caminho - daqui a uns meses lá estaremos! - e aquela paisagem incrivelmente verde do Pine Cliffs.

 

 

Agora de volta à realidade está na altura de vos dar o resultado do passatempo Sephora (gostaram?!) - que vem daqui a pouco - e mais conteúdos novos.

 

 

 

Tenham uma boa semana.

Até já!

 

 

 

Instagram @stylista_mg 

 

 

 

refeições felizes

 

 

Activia convidou-me para um Brunch DE-LI-CI-O-SO no Hotel Pestana Palace para apresentar (a mim e outras pessoas) o resultado de um estudo sobre Hábitos Alimentares nos dias de hoje; dias em que andamos a correr e mal nos sentamos para comer, e dias em que a tecnologia está mais presente do que devia.

 

Achei: 'ui, isto é mesmo para mim, preciso muito deste puxão de orelhas'. Não pela parte de fazer uma refeição agarrada ao telefone (não faço, a menos que esteja sozinha e me queira entreter) mas por andar sempre a correr durante a semana e alimentar-me muitas vezes de snacks rápidos. 

 

Snacks que por vezes podem provocar mau estar e más digestões e que nos vão tirando Bons Hábitos. (Estou a sentir bem isso na pele esta semana; um bocado adoentada e sei que é o meu corpo a dizer 'come e dorme melhor se faz favor')

 

Activia tomou consciência destes novos comportamentos, desenvolveu um estudo em conjunto com a Marktest e com o Sociólogo, Professor da Universidade Aberta e Investigador do ISCTE-IUL Pedro Abrantes, e construiu a sua estratégia de 2016 com base no mote - bastante pertinente - 'Refeições felizes, Digestões felizes'.

 

 

 

(a gaiola onde Activia pedia para guardar os telefones durante o Brunch

- esteve cheia, esta imagem já é do fim)

 

 

Sobre o estudo, deixo-vos três (de muitas) conclusões não surpreendentes (nós sabemos bem o que andamos a fazer), mas ainda assim difíceis de corrigir:

 

  • 8 em 10 pessoas atendem chamadas durante a hora da refeição e 93% da população inquirida vê TV durante as refeições 
  • Lisboa e Porto são as zonas do país onde se fazem MENOS refeições à mesa; gostamos muito de jantar e almoçar fora aos fins-de-semana mas nos dias de semana mal nos sentamos (guilty!!!)
  • Os Lisboetas preferem boa comida a boa companhia (diz o estudo) e os Portuenses preferem boa companhia a boa comida.

 

(alguém a sentir-se identificado por aí?)

 

 

Gostei muito desta apresentação.

 

Gosto quando as marcas fazem estas abordagens de tomada de consciência.

 

Vocês o que sentem?

 

Sentem que andam a ter Refeições Felizes

ou nem por isso?!... :)

 

 

 (e um belo presente da Vista Alegre)

 

Obrigada Activia.

 

 

loja Paez

 

Obrigatório fazer uma visita à loja Paez do Chiado!

 

Não conhecia ainda, fui pela 1ª vez há dois dias e adorei. A loja tem dois andares, uma decoração cheia de pormenores giríssimos, uma série de modelos muito além dos espadrilles clássicos da marca - para homem, mulher e criança. Se passarem no Chiado este fim-de-semana não deixem de visitar, até porque está TUDO a 50-70% de desconto.

 

Fica na Rua do Alecrim nº 62 e está mesmo gira!

 

 

 

Vejam mais imagens desta visita aqui.

 

 

Trouxe este modelo (em cima) porque só de olhar para eles tive esta imagem: desapertados, cheio de areia e com uma pulseireca no pé, a sair duma praia qualquer. (ahah, não vejo a hora)

 

 

 

Instagram @stylista_mg

 

 

 

Apple Watch

 

Lembram-se de ter publicado um Post há umas semanas a dizer que estava com mixed feelings em relação ao Apple Watch? Dizia que o achava um objecto muito desejavel mas que não percebia a mais valia?! Pois bem, fui averiguar.

(dá-me um nervoso miudinho esta coisa da tecnologia, quero logo saber 'o que está a acontecer agora' neste mundo que me fascina duma maneira que vocês não queiram saber)

 

A loja GMS - que é um Apple Premium Reseller; tudo topo de gama e com uma pinta inacreditável, da loja aos acessórios (conhecem?) - tem um serviço de atendimento TOP e explica a quem queira saber (no Chiado é numa salinha privada muito simpática) tudo sobre qualquer gadget in store. A duração da 'aula' de Apple Watch é de 1 hora mas eu fiquei lá 2h! - para verem como tinha perguntas para fazer.

 

Se fiquei fã? Muito. Se entendi a pertinência? Sem dúvida. Se achei o Apple Watch um 'brinquedo' extremamente emocional e divertido? Hell yes.

 

 

Então vamos lá a isto,

 

situações em que, para mim, faz mais sentido o Apple Watch do que o iPhone:

 

  • Maps. Vou para uma reunião, saio de casa, assim que entro no carro escrevo a morada no Maps, ponho o iPhone no tabelier do carro (ou no colo, ou no assento do lado) e lá vou eu. Acontecem duas coisas invariavelmente: 1) à minima curva lá vai o iPhone para o chão - ou em direcção à janela aberta! - quando me vai parar aos pés é o fim! lá ando eu à pesca do telefone às vezes enquanto estou a guiar - um perigo!) e 2) não consigo não olhar para o Mapa (o que também é perigoso). Com o Apple Watch, o Maps está no pulso e só tenho que ir ouvindo as indicações. Tenho na mesma que colocar a morada no iPhone (é mais fácil) mas depois as indicações são dadas pelo relógio (e o telefone pode estar sossegado na carteira). É mais fácil e menos distractivo.

 

  • Chamadas. Ainda no carro (eu ando muito de carro por isso isto é tudo muito pertinente para mim), as chamadas podem ser atendidas no telefone, o som é óptimo, e assim não é preciso andar de auricular.

 

  • Mensagens. Ontem aconteceu-me estar muito atrasada para uma reunião (acontece-me muito infelizmente); quando estou a correr na rua ou se estou no carro à procura de lugar para o estacionar, não me dá jeito nenhum pegar no iPhone, abrir os emails (ou SMS), procurar a pessoa e escrever um texto a dizer que estou atrasada. É só uma tarefa que me vai fazer perder mais tempo. Com o Apple Watch dito a mensagem à Siri (que a percebe lindamente). A mensagem pode ser enviada como Audio (uma gravação de exactamente aquilo que eu disse), Texto (o tal ditado que fiz à Siri) ou, uma das várias mensagens pré-formatadas (é só clickar em 'estou 15mn atrasada' e já está). Uma das coisas que me estava a intrigar era precisamente isto: como é que se escreve naquele écran mínimo?! Não se escreve. As mensagens/emails/WhatsApps são ditados à Siri (que os escreve) ou em versão Audio. (rápido, fácil e on the go). A parte mais gira de estar a falar para um relógio é que nos sentimos o Michael Knight a chamar o Kitt.

 

  • Share location. Estou com alguém que tem um Apple Watch (de férias por exemplo), eu vou ver um sítio e ele (ou ela) vai ver outro. Não precisamos de fazer a chamada 'onde estás?' para nos voltarmos a encontrar. Basta um Share Location e se for preciso um Maps para indicar o caminho. (eu sei que o WhatsApp também tem isto tudo; este método parece-me mais rápido).

 

  • iTunes. Para correr, andar ou ir para o ginásio, podemos levar só o relógio e headphones com bluetooth (na GMS há uns MEGA). Já não há o fio do auricular a chatear a corrida nem a obrigação de ter um suporte para o iPhone. Mãos livres total. O iPhone também não precisa de estar a 30 metros. No final da sessão de exercício, quando Apple Watch e iPhone se voltam a emparelhar, a informação dessa actividade (corrida, ginásio, etc) é sincronizada. 

 

  • Calendário. Ainda não explorei bem mas esta é uma daquelas aplicações que só não tira - ainda - um café. O Apple Watch vê o nosso dia no calendário e cruza a informação com o estado do trânsito (por exemplo) para nos avisar quando temos de sair para chegar a horas. Controla e organiza a nossa agenda. Trata de tudo por nós. É espectacular. 

 

  • Photos! Esta gostei :) O Apple Watch não tira fotografias mas, se quisermos colocar o iPhone num sítio qualquer para nos tirar uma fotografia (um tripé, uma prateleira, etc) o Apple Watch funciona como comando. Ou seja, já não precisamos de ter o iPhone na mão para tirar uma selfie; o telefone capta a imagem e o relógio faz o click remoto.

 

Podia ficar aqui até amanhã mas também não vos quero cansar com mais informação. O que senti é que o Apple Watch é mais prático; não serve para ler nem explorar mas serve para facilitar o dia. Tira-nos o telefone das mãos e dá-nos as notificações mais pertinentes e as ferramentas mais úteis.

 

 

A parte emocional chega quando este acessório, tão perto da nossa pele, sabe tudo sobre o nosso batimento cardíaco e os nosso hábitos de exercício diário. Ontem recebi uma notificação a dizer para me levar um minuto e andar (que já estava há muito tempo sentada) - o desplante! E lá fui eu, mexer-me um bocadinho para ver se os meus círculos - é uma App - melhoram. (uma pessoa sente-se um bocadinho falhada quando percebe que não se levantou da cadeira o dia todo). A partir daqui entra o jogo e a gargalhada e as mensagens desenhadas com a ponta do dedo, e mais uma série de coisas que, como não podia deixar de ser, foram pensadas ao pormenor para solidificar a tal relação quase-afectiva com estes brinquedos.

 

Da mesma forma que o iPad ganhou o seu terreno numa série de funcionalidades (leitura, desenhos animados para miudos, browsing no sofá, companhia de férias e fim de semana), o Apple Watch vai encontrar também o seu lugar como uma espécie de assistente ultra eficaz, que ainda por cima se preocupa imenso com o nosso bem estar e saúde. 

 

Desengane-se quem acha que o Apple Watch não está para ficar.

 

 

Espero ter-vos ajudado a perceber melhor este gadget;

se quiserem a tal formação Apple para o Apple Watch,

procurem uma loja perto da vossa zona aqui.

 

 

O custo em loja é de 39€ e em casa (concelhos de Lisboa, Oeiras, Cascais, Sintra, Amadora, Odivelas, Loures e Almada) é de 79€. É um serviço premium - não vejo em mais lado nenhum esta disponibilidade - e por isso faz sentido que tenha um custo associado.

 

 

Quem já tem o Apple Watch lembra-se de mais alguma mais-valia

que me tenha escapado?

 

 

O modelo na imagem é o

Apple Watch Sport 38mm

com caixa em cor ouro rosa e bracelete branca.

Tudo na GMS Stores.

 

 

A pulseira é da COS.

 

 

 

 

spring trend: retro-active

 

 

Há várias categorias em roupa: sleepwear, loungewear, swimwear, ready to wear (a roupa que aparece nos desfiles; mais cara, com design de autor e geralmente de melhor qualidade), sportswear (a roupa que usamos no dia a dia, das lojas mais comuns) e activewear (roupa de desporto).

 

Hoje em dia se calhar já há mais 700 categorias, mas eu só conheço estas.

 

Se pensarmos em activewear, há todo um historial do fato-de-treino, desde os anos 70 até agora, com boas e más associações e há, claro, uma narrativa visual muito forte que associa a roupa de desporto à rua, aos bairros e ao hip-hop. À medida que as estrelas do hip-hop ganham um estrelato estratosférico (e dinheiro, e - lentamente - algum refinamento) a roupa desportiva entra no mundo do luxo e passa a ser altamente desejada por vários grupos, independentemente da sua classe social ou gosto musical. 

 

Com este boom desportivo - muito influenciado pelos primeiros ténis vistos num desfile de Alta Costura há uns anos (Chanel/Lagerfeld) e pelo FENÓMENO Stan Smith - as marcas de ready-to-wear reforçam continuamente a componente activa (tão pertinente na nossa vida sempre a mil) nos seus desfiles.

 

 

Desta vez a tendência chama-se 

retro-active.

 

 

Pensem Adidas dos anos 70/80, pensem Lacoste, pensem nos domingueiros num Shopping há 20 anos atrás. Pensem nisso tudo e depois juntem-lhe umas roupas mais delicadas, femininas e leves, até encontrarem uma silhueta fresca, nunca antes explorada.

 

 

(nada que já não andemos a treinar há 2-3 uns anos)

 

 

Eu gosto.

 

Espreitem aqui o desfile Chloé para perceberem a ideia.

 

 

 

 

Instgram @stylista_mg 

 

 

 

Imagens dos desfiles Chloé e Alexander Wang, via Vogue Runway

 

 

 

 

 

 

hoje

 

 

Lembram-se de ter dito que já quase não usava preto?!

Bom. Deu uma saudade :)

 

 

calças flare Zara (inverno) • top COS (inverno) • fio CINCO

camisa-casaco Zara (inverno) • pulseiras Omnia

relógio Eletta • lenço H&M (homem) - é 100% lã!

óculos Miu Miu

 

 

As botas comprei no fim dos saldos porque precisava de uns botins muito altos

para usar com algumas calças mais compridas. Não os adoro e

também não os recomendo: são a coisa mais incómoda de sempre.

 

 

 

 

 

Instagram @stylista_mg

 

 

 

inspiração

 

 

 

A temperatura sub-zero trouxe à rua casacos LINDOS na New York Fashion Week!

 

Há quem tenha atracção por sapatos, há quem tenha atracção por carteiras, eu, (além de todas essas!) sou doida por casacos. Não resisto a um casacão, principalmente se tiver assim este ar de casulo, de conforto, de abraço quentinho. Adoro qualquer um destes três. Cor, conforto e estilo! Só sei que o último - da Jenna Lyons - é, claro, da J. Crew.

 

 

 

 

 

Instagram @stylista_mg

 

 

 

radar

The cap is back!

 

(e eu gosto muito disso)

 

Em cima Lacoste

Em baixo H&M Studio SS16 e Bimba y Lola

 

 

 

 

 

 

Instagram @stylista_mg