Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Stylista

web summit

 

 

Ontem não consegui entrar no Opening do Web Summit - estava um mar de gente - por isso hoje acordei às 6h, cheguei mais do que a tempo, parei o carro na maior, fiz a Registration e entrei neste Mundo encantado da tecnologia (que eu adoro, adoro, adoro!) sozinha, com um sorrisão na cara e cheia de vontade de andar, livre, a explorar e a absorver todas as conversas em todos os palcos. (tão bom!)

 

De App aberta e telefone sempre na mão, lá ia vendo o My Schedule (um plano que fiz uns dias antes) para saltitar - a cada 30mn - de palco em palco, pavilhão em pavilhão, conversa em conversa. 

 

O Web Summit para mim é o equivalente ao Disneyworld para um miúdo de 10 anos e por isso é que tratei de comprar o meu bilhete já há uns meses. Adoro esta 'história' das Apps, da conectividade, da evolução para negócios cada vez mais mobile, das relações com tanta tecnologia, da nossa dinâmica, do bom, do mau, do feio, do maravilhoso. É uma loucura (boa) ouvir estas pessoas com percursos tão interessantes e os seus discursos super simples, acessíveis, divertidos e sem floreados (nem gravatas). É fantástico estar no meio de tanta gente de tantos lados do Mundo, visitar os mini Stands com Start-Ups cheias de ideias doidas e pensar que tudo isto é muito exciting.

 

Os meus olhos brilharam de entusiasmo o dia todo. Não fui para fazer contactos nem para conhecer marcas ou pessoas (claro que tudo isso é bem-vindo pelo caminho), fui para absorver esta explosão de experiências.

 

Dormi 5h (entretanto ainda há muita coisa a andar com a organização do Winter Market, e eu estou cada vez mais eufórica com tudo!), deitei há um tempo a criançada, e por isso, não estou capaz de articular nada de especial mas posso deixar-vos algumas ideias soltas que fui registando ao longo das cerca de 6 conversas a que assisti. 

 

 

  • Senti que o foco está a voltar para as pessoas; senti uma certa vontade de humanizar a tecnologia. Passar do 'a tecnologia está aqui para vos distrair e entreter' para ' a tecnologia está aqui para vos ajudar, unir e servir'. E ouvi projectos muito giros neste sentido.
  • Senti que no futuro o discurso é 'sobre nós' e não 'sobre mim'. O 'eu acho isto' está a evoluir para 'nós somos capazes de conseguir juntos aquilo'. As pessoas estão aborrecidas de conteúdos que se esvaziam em segundos, querem ver acção, propósito e sentido.
  • Senti que 'fazer um dinheirão' perdeu a graça. Ser criativo, trabalhar em conjunto, e conseguir resultados que beneficiem uma comunidade é muito mais satisfatório do que isso. 
  • Senti que Ajudar é a nova tendência, e que a tecnologia está a ser muito útil porque está a dar-nos uma noção mais real dos problemas do mundo (via live stream) e do impacto que a nossa ajuda pode ter. A apresentação da Epic Foundation foi demais! Mais um caso de um empreendedor nesta área da tecnologia que fez muito dinheiro e... percebeu que viver é muito mais do que stress e status. O 'ter' está a dar lugar ao 'fazer'. 
  • Mas... o consumo continua a ser muito interessante! Cada vez mais interessante, complexo e cheio de novas dimensões. O consumo continua a ser importante mas a forma como o vamos fazer está a mudar. 
  • Senti que há espaço para todas as ideias, senti que há imensos nichos de mercado por explorar nestes estilos de vida modernos e senti que a verdadeira dificuldade não é criar um negocio... é mante-lo vivo! Tudo o que possa ser criado pode ser ultrapassado e substituido em muito pouco tempo.  A apresentação keeping your product relevant foi muito interessante (está tudo a ser passado onlinese conseguirem encontrar vejam).
  • E por ultimo senti que queria ter visto todas as conversas e não apenas meia duzia.

 

Enfim, há tanto para digerir ainda (tanta mudança a toda a velocidade!), mas acho que de uma forma geral todas as conversas tocavam - de forma mais subtil ou mais óbvia - nestas alterações dramáticas do eu para o nós, do ter para o fazer, da passividade para a acção, da previsibilidade do ecrã para a dinâmica surpreendente do Mundo real. Sempre com tecnologia mas usada de forma a puxar por nós, em vez de nos deixar dormentes.

 

 

Amanhã há mais e na 5ª feira estou ansiosa para ouvir

a Miroslava Duma!

 

 

Depois conto-vos :)

 

 

 

 

óculos Komono • jóias Carolina Curado

capa de iPhone Pop the Bubble Store

 

 

 

 

 

 Tudo no

Winter Market Stylista

Dias 26 e 27 de Novembro

entre as 10 e as 19 horas

na Cordoaria Nacional

 

 

Fotografia

Gonçalo M Catarino | KAEOT