Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stylista

kicking

 

 

Bom, como vocês já devem ter percebido, eu, a eterna resistente,

comecei a fazer exercício físico! 

(wohooooo!)

 

 

Vou falar-vos um bocadinho sobre isso - porque tenho que tirar isto do sistema! - e depois prometo que vos deixo em paz com estas coisas de fitness e wellness; que há por aí muito melhor gente do que eu para falar sobre isso.

 

Contexto: ando sempre a mil, quero fazer uma série de coisas ao mesmo tempo, tenho muitas ideias e quero coloca-las todas em prática, tenho um trabalho instável e vivo muito a adrenalina da incerteza (don't we all?), tenho dois filhos pequenos - que passam bastante tempo em casa, onde eu também trabalho - e, como é óbvio para qualquer pessoa que saiba juntar 2 + 2: não dá para tudo! Há sempre um lado da corda que rompe, e no meu caso - já dizia o Variações e bem - o corpo é que paga. Se o tempo é curto, como mal - quando posso ou 'se' posso - e depois, claro, com tanta corrida e sem alimentos bons, fico de rastos. Fica o corpo e a cabeça de rastos, e já se sabe que assim não se produz nada de especial. Nada. Em área nenhuma. É uma espiral negativa; sempre a perder e não vale a pena lutar contra isso, porque sem energia, clareza e foco, só se produz frustração.

 

Uma vez li um artigo (acho que foi na Vogue Uk) em que a directora da revista (com 4 filhos e muito mais responsabilidade profissional do que eu) tinha entrado em burn-out total. Quis estar em força em todas as frentes e foi-se perdendo pelo caminho. (um clássico! quem nunca?!...). Numa tentativa de dar a volta à vida e por sugestão de alguém, começou a treinar boxe e começou a contar de que forma é que esta actividade - que ainda lhe consumia mais tempo - a ajudou a organizar a vida de volta. Fui lendo porque o artigo estava óptimo e eu estava a identificar-me com tudo aquilo a 100%. A tal directora nunca tinha feito nada de exercício físico, não tinha pachorra, aborrecia-se e achava que isso não era uma prioridade - que era o que eu achava também, por isso fiquei mesmo presa ao artigo! Quando rebentou, parou tudo, começou a dar mais atenção em casa, começou a passar menos tempo no trabalho e começou a treinar boxe. Era uma forma de descarregar e descomprimir - gosto! - era uma forma de treinar o foco - gosto muito! - era uma forma de treinar a capacidade de antecipação e reacção - gosto gosto gosto! - e era também uma forma (das poucas) em que não se pode mesmo ficar a divagar ou a pensar em problemas/na vida/em coisinhas pequeninas (senão apanha-se!!).

 

Fiquei com isso na cabeça e pensei: se há coisa que eu sou capaz de gostar é de algo assim deste género. Fui adiando - claro - e depois quando apareceu este pretexto #DesafioActivia decidi: é agora!

 

 

Comecei a treinar - hoje foi o meu 7º treino - com aulas particulares,

e não é que eu gosto mesmo disto?!!!!

 

 

Não vou andar à luta com ninguém, não quero ser uma mázona, não me quero armar em forte, nem quero ser um pequeno Hulk. Quero tudo o que vos disse em cima: descomprimir, treinar o meu foco, treinar a minha capacidade de antecipação, treinar a minha capacidade de observação, controlar impulsos, treinar a minha paciência, treinar a minha resistência e sim, não vou mentir, também me sabe MUITO BEM dar uns socos!

 

 

É uma maravilha sacudir a tensão e pôr o cenário todo em perspectiva.

 

 

Resultado: perdi 3 horas de trabalho por semana, o que me está a complicar muito a agenda mas está a descomplicar TANTO o espírito que vale cada minuto. Está também a obrigar-me a filtrar melhor o meu tempo e a tratar o meu corpo de forma a poder estar com mais presença em todas as frentes.

 

 

 

É um treino espectacular para o maior ringue de todos:

a vida!

 

 

Ahaha, OK, estou a brincar (ou não!), mas é mesmo mesmo bom.

 

 

Entendo que há quem ache que é uma modalidade 'sombria' ou mais pesada,

mas eu posso dizer-vos que é pura animação e frescura!

 

 

 

 

 

 

 

Nestas imagens estou a ver se aprendo alguma técnica com o

Treinador Seleccionador Nacional de Muay Thai: o fantástico Luís Rosu,

com a colaboração da Federação Portuguesa de KickBoxing e Muay Thai

- que foi quem me pôs em contacto com os melhores!

 

 

Os meus treinos - e lições de vida! - são por Cascais, no Dramático,

com o grande Nuno Neves.

 

 

 

 

 

Há mais alguém por aí a praticar

este desporto e a adorar!?

 

 

 

 

 

 

Fotografia

Gonçalo M Catarino

 

Top, calções,

luvas de boxe e botas (que não aparecem aqui)

Adidas

 

 

 

 

 

 

18 comentários

Comentar post