Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Stylista

sem ais nem uis!

 

 

É possivel que já tenham reparado que os meses de Verão são os que mais dedico à casa. São a única altura do ano em que tenho disponibilidade para olhar para uma parede e pensar 'falta aqui uma prateleira', olhar para um espaço e compor com algumas plantas e quadros, olhar para algum problema com a construção da casa e arranjar alguém que o possa resolver. Durante o resto do ano a agenda é sempre tão preenchida que, por mais que pense 'esta casa continua vazia ao fim de três anos' não tenho tempo nem capacidade para agir sobre isso. (que é mais ou menos o que se passa agora!)

 

Bom, mas a verdade é que 'grão-a-grão' já investi algum tempo (e não só) nesta casa. Ao pensar neste investimento e, antes disso, no desperdício que é estar a pagar um aluguer por um espaço que não pensamos ser provisório, tenho andado (em conjunto com o marido, claro!) no ultimo ano a considerar a opção de compra.

 

Confesso que me fechei em negação só de pensar na trabalheira que é tratar dessa ideia (e mais ainda quando comecei a ver como está o mercado imobiliário), mas como esta negação tem um preço alto, lá me fui informar sobre Crédito Habitação (só para saber, para ir pensando e para, se possível e viável, agir).

 

Este 'acordar' para esta realidade fez-me estar atenta a uma série de outras coisas relacionadas com este processo, e como o verdadeiro ganho para os bancos está nos pequenos custos associados a tudo e mais alguma coisa. Basicamente - e para não entrar em grande detalhe - há Bancos com um spread mais baixo mas que depois exigem tantos produtos bancários que, o custo total com o empréstimo acaba por ser bastante superior ao simulado (que nunca envolve estes 'custozinhos' extra de gestão de contas ou produtos do banco que nos ‘obrigam’ a subscrever).

 

 

 

 

 

Tenho trabalhado com o Banco CTT nos Market Stylista e por conhecer a simplicidade em todos os processos (já abri lá conta!) quis saber também qual seria a oferta nesta categoria. A conclusão a que cheguei - comparando com outros bancos onde tenho conta - é que  é que no caso do Banco CTT só é necessário subscrever os 2 seguros obrigatórios para este tipo de Crédito (Seguro Vida, Seguro Casa) e Domiciliar o Ordenado, numa conta que não tem custos. Além de que o spread é também um dos mais competitivos.

 

 

 

 

 

Se por acaso forem ao site, há um 'Guia do Crédito Habitação' (uma espécie de 'Crédito Habitação for dummies' ... como eu!), uma lista curta que explica exatamente - e de forma muito transparente todos os passos que fazem parte do pedido de um crédito e, uma vez em curso este pedido de Crédito, o Banco CTT disponibiliza uma equipa que nos acompanha e a quem podemos ligar quantas vezes quisermos para tirar duvidas bem como uma App para enviar documentos em falta e trocar mensagens com o banco (o que evita deslocações desnecessárias à loja e poupa muito tempo). Com estes textos fáceis e de leitura rápida (senão desisto a meio) já percebi exatamente o que terei que fazer na eventualidade de querer avançar com uma proposta de compra. Parecia um pesadelo mas afinal em 15 minutos entendi tudo e estou pronta para passar à fase seguinte. 

 

 

 

 

 

Este 'pesadelo informativo' afinal foi bem mais leve e fácil do pensava!

(não é espectacular quando isso acontece?!)

 

 

Não sei se estão por dentro deste tema 

- se calhar não vos estou a contar nada de novo! -

mas se andarem a pensar em Crédito Habitação,

não deixem de falar com o Banco CTT 😉

 

 

 

 

 

 

 Fotografia

Gonçalo M Catarino

 

 

Instagram @stylista_mg

 

 

 

 

 

 

3 comentários

Comentar post